Presidente da CAADF recebe prêmio por apoiar a saúde mental da advocacia na pandemia

O prêmio Mental Health Change Makers, com chancela do Artemis Project (www.artemisproject.ca), projeto da aceleradora de negócios canadense Women on the Move, alinhada aos objetivos de desenvolvimento sustentável do Pacto Global da ONU, foi conferido a lideranças da advocacia e do meio jurídico que promoveram ações no campo da saúde mental.

Eduardo Uchôa Athayde, presidente da Caixa de Assistência dos Advogados do Distrito Federal (CAADF), um dos agraciados, destacou que a pandemia trouxe uma realidade completamente nova e inesperada para todos, principalmente para a advocacia. “Precisávamos, naquele momento inicial, propor e executar soluções que acolhessem os advogados e advogadas em suas mais diversas necessidades. As iniciativas terão continuidade, pois ficou evidente o quanto é imperativo cuidar da nossa saúde mental.”

A PREMIAÇÃO

O evento de premiação aconteceu em Canela (RS), no dia 3 de dezembro, e contou com a presença de José Armando Amado, presidente da Caixa de Assistência dos Advogados do Rio Grande do Sul, acompanhado dos diretores Sílvia Bontempo (vice-presidente), Euclydes José Bruschi Júnior (secretário-geral) e Janaína Pouso (secretária adjunta); Fernando Ribeiro Lins, presidente da Caixa de Assistência dos Advogados de Pernambuco e recém-eleito presidente da OAB de Pernambuco; Mariana Melara Reis, vice-presidente da Caixa de Assistência dos Advogados do Rio Grande do Sul; Sandra Gonçalves Krieger, conselheira federal da OAB por Santa Catarina e representante do Conselho Federal da OAB no Conselho Nacional do Ministério Público; Eduardo Uchôa Athayde, da CAADF, além de outras lideranças  que se destacaram por ações e projetos em prol da saúde mental no setor jurídico

A PANDEMIA

O Brasil e o mundo vivem uma quarta onda provocada pelo coronavírus e esta não está diretamente relacionada com problemas psicológicos causados pela pandemia. Quem alerta para o fato é a OAB, na nova edição da Cartilha de Saúde Mental da Advocacia, recém-lançada sob coordenação da conselheira Sandra Krieger.

A primeira onda de Covid-19 sobrecarregou os sistemas de saúde; a segunda causou escassez de recursos para atendimento de condições clínicas agudas; a terceira interrompeu cuidados com doenças crônicas; a quarta, e atual, caracteriza-se pelo aumento da prevalência de transtornos mentais e traumas psicológicos decorrentes da infecção ou de seus impactos secundários.

“A saúde mental é uma área historicamente negligenciada, embora sejam alarmantes os impactos globais do adoecimento mental e, com a pandemia, essa realidade ficou ainda mais exposta”, afirma psicóloga Ana Carolina Peuker, que prestou consultoria à Ordem para elaboração da Cartilha de Saúde Mental. “Houve aumento da prevalência dos transtornos mentais e os custos com essas doenças podem chegar a 6 trilhões de dólares até 2030”, alerta.

O panorama da saúde mental entre advogados e advogadas não é diferente. Por meio das Caixas de Assistência de Advogados, entidades assistenciais ligadas às seccionais da Ordem, vêm sendo desenvolvidos trabalhos de apoio à saúde mental da classe em parceria com Bee Touch, startup de psicologia fundada por Peuker.

“O cenário da pandemia nos obrigou a lidar com diversos sentimentos, daí a relevância desse trabalho, que envolve formas de melhorar o cuidado com a nossa saúde mental e não somente com o trabalho – estamos aprendendo a desenvolver um olhar generoso com os outros e com a gente mesmo”, observa Sandra Krieger.

ESTUDOS

No Piauí, estudo realizado pela Caixa de Advogados local e a Bee Touch, entre outubro de 2020 e abril de 2021, mostrou que 19,6% dos advogados e advogadas do estado possuem algum tipo de diagnóstico de saúde mental, destacando-se transtornos de humor e ansiedade. No Mato Grosso do Sul, 47% dos advogados e advogadas pesquisados apresentam sintomatologia de ansiedade, enquanto 33% mostram sintomas de depressão.

“Esses e mais resultados apontados no monitoramento digital de saúde mental serão úteis para definir os próximos passos. Os dados evidenciaram, principalmente, a necessidade de teleatendimento psicológico desses profissionais, uma alternativa para atingir toda a advocacia do estado de forma ágil e efetiva”, salientou Ana Carolina Peuker.

Em São Paulo, a parceria da Bee a Touch com a CAASP, a Caixa de Assistência dos Advogados local, já resultou a criação da plataforma de saúde mental CAASPSico, a qual já registrou quase 30 mil acessos e gerou cerca de 3 mil consultas psicológicas para advogados e advogadas.

Expresso 61 com informações da Bee a Touch e da CAADF

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.