OAB/DF inaugura, nesta sexta-feira (18), novo auditório acessível para todos

O presidente da Caixa de Assistência dos Advogados do Distrito Federal (CAADF), Eduardo Uchôa Athayde, fala sobre a recuperação do prédio-sede e de investimentos em obras no Sistema OAB/DF. Foi a CAADF que investiu nas obras.

Tudo o que foi feito, segundo o presidente da CAADF, teve como base estudo da Deloitte, empresa que presta serviços de auditoria e que apontou os investimentos mais urgentes.

Quais foram os investimentos na sede da OAB/DF?

Eduardo Uchôa Athayde: Investimos na recuperação da fachada, na revitalização do auditório e nas obras de acessibilidade no prédio-sede. Interessante destacar que, agora, o prédio todo passa a ser acessível, com nosso auditório pronto para receber pessoas com deficiência. Vamos entregar, em breve, uma reforma estrutural grande para adequar o prédio às exigências do Corpo de Bombeiros, o que inclui a fachada do prédio. O primeiro intuito foi de recuperação dos equipamentos, pois o abandono era tal que havia riscos ao prédio e aos usuários, visto que o revestimento da fachada podia descolar.

As Subseções foram incluídas nesses investimentos prioritários da OAB/DF?

Eduardo Uchôa Athayde: Sim. Temos feito investimentos de recuperação e revitalização nas Subseções, deixando prédios bem equipados. Lembro aqui que está em estágio já adiantado a obra da Subseção do Guará e que serão feitos outros investimentos em Subseções no decorrer do ano. Temos encaminhado, por exemplo, investimentos para as Subseções de Taguatinga, de Sobradinho, do Gama e Santa Maria, de Riacho Fundo, do Paranoá e de Samambaia. Queremos melhorar as estruturas e dar segurança, também, para suprir questões levantadas pelo Corpo de Bombeiros. Já nesta gestão, importantíssimo recordar, inauguramos novas sedes em Ceilândia e em Águas Claras.

Houve investimento no Clube da Advocacia. Também recursos por meio da CAADF?

Eduardo Uchôa Athayde: No Clube da Advocacia tivemos as reformas na arquibancada e vestiário (masculino e feminino), a impermeabilização da laje de cobertura do restaurante e a nova churrasqueira.

Quanto à própria CAADF?

Eduardo Uchôa Athayde: Lá os investimentos principais foram referentes à construção de nossa clínica (PrecAAver), cujo foco principal é o atendimento da saúde primária de toda a advocacia, especialmente dos usuários dos nossos planos de saúde. Mas também foram realizados ajustes de segurança, ditados pelo Corpo de Bombeiros, e a recuperação da calçada, além da manutenção predial básica, que não era realizada há muitos anos.

Como foi possível realizar tudo isso em apenas uma gestão?

Eduardo Uchôa Athayde: Num primeiro momento, identificamos que era necessário um profundo equilíbrio financeiro para conseguirmos avançar em projetos que atendessem à advocacia e criassem uma identidade maior entre as ações da CAADF e os colegas e familiares. A questão da readequação dos equipamentos da OAB-DF também era um desafio que só poderia ser vencido através de um trabalho conjunto entre a CAADF e OAB-DF. Juntas, CAADF e OAB-DF captaram recursos recebidos por meio do FIDA (Fundo de Integração e Desenvolvimento Assistencial dos Advogados). O FIDA foi criado pelo Conselho Federal da OAB e é instrumento de investimento em estrutura para todo o sistema OAB. Fundamentalmente, o FIDA presta suporte financeiro para as Caixas no que se refere a investimentos em equipamentos e estrutura para realização da missão institucional.

Essa união OAB/DF e CAADF é uma articulação diferenciada?

Eduardo Uchôa Athayde: Sem dúvida, desde sempre, tivemos entendimento que faríamos muito mais se a OAB/DF e a CAADF estivessem juntas. Isso é um grande diferencial do projeto de Brasília: a liderança do presidente Délio Lins e Silva Jr. e de nossa copresidente Cristiane Damasceno sempre deu norte para a diretoria da CAADF trabalhar. Isso facilita muito as coisas. Foi mais fácil obter recursos no âmbito do Conselho Federal. A gente, falo a gente porque é conquista das duas diretorias, fez muito mais porque houve esforço conjunto para obter esses valores. Se tivéssemos uma visão da Caixa e uma visão da Ordem, não teríamos essa fluidez. Alcançamos muito em assistência e reconstrução da estrutura da Ordem porque todos olhamos, sempre, para o mesmo lado. Remamos juntos e assim chegamos mais rápido aos objetivos.

A CAADF ainda conseguiu distribuir alimentos e realizar campanhas de vacinação, enfrentando pandemia, aumento de inadimplência, dificuldades que poderiam ter sido fortes obstáculos às realizações, qual foi a fórmula mágica?

Eduardo Uchôa Athayde: Organização, identificação de prioridades, controle de despesas e, principalmente, respeito ao orçamento. O que se fez não é mágica. Apenas olhamos para todas as despesas de antes e cortamos as que não atendiam ao conjunto da advocacia. A partir daí, concentramos nossas forças em nossas prioridades: saúde (com a criação da clínica e nosso plano de saúde exclusivo) e auxílios financeiros (com a ampliação das hipóteses de pedidos, a inclusão dos jovens advogados entre os elegíveis para solicitar os benefícios além da criação do programa da CAAIXA DE ALIMENTOS que distribuiu mais de 63 toneladas de alimentos e produtos de higiene para os colegas). Não foi fácil realizar tudo isso em meio a pandemia, com diminuição de receitas, mas era necessário e absolutamente pertinente nesse período tão duro que enfrentamos.

Qual a importância de toda a realização no aspecto mais amplo, para a sociedade?

Eduardo Uchôa Athayde: O investimento na recuperação de nosso prédio e do nosso auditório não é só simbólico. É essencial uma Ordem fortalecida e capaz de atender as demandas da sociedade civil. Mais que isso, há o aspecto político representado pela luta da Ordem em prol da democracia. Foi no prédio da Ordem que os colegas de braços dados resistiram à invasão da ditadura. Também, foi em nosso prédio que a sociedade civil organizou e gestou o movimento que impediu a intervenção federal no DF na época em que o então Chefe do Governo Estadual foi preso. Através dos investimentos estruturais que estamos realizando, a sociedade seguirá bem abrigada em nosso prédio, agora inteiramente acessível às pessoas com deficiência. E a OAB-DF seguirá como referência para a sociedade do Distrito Federal, abrigando toda nossa sociedade.

Informações da Comunicação OAB/DF

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *