A instigante arte do arquiteto, artista plástico e cartunista Milton Mendes

O artista é um dos personagens da série de documentários que estão sendo produzidos pelo projeto Academia Digital

Da Assessoria

Os traços do cartunista Milton Mendes é uma mistura de leveza, movimento e sátira. As formas que ele compõe seus personagens são instigantes. E nem parece que aquele senhor de meia idade, aparentando um menino, com seu jeito manso e arquitetura de passarinho, fez aquilo. Até mesmo seu autorretrato ganha, com seus traços, outro ar, com delicada desatenção, que na vida real não lhe é peculiar. Muito embora Milton seja uma pessoa muito crítica e, certamente, não perdoa quem a mereça.

Arquiteto, artista plástico, ilustrador e cartunista, Milton Mendes é um dos personagens dos 12 documentários que estão sendo produzidos para o projeto Academia Digital, que faz parte da revitalização da Academia de Letras, Cultura e Artes do Centro-Oeste, com sede em Barra do Garças. A produção dos vídeos teve início na semana que passou.

Nascido na cidade de Guiratinga, no sudeste de Mato Grosso, Miltonse mudou ainda criança para Barra do Garças. “Sou da safra de 1958, nasci junto com a primeira vitória brasileira na Copa, na euforia da era JK. Tenho 63 anos de idade, portanto. Depois, vim com meus pais para Barra do Garças, em 1966”, conta ele.

Aos nove anos de idade, já morando em Barra do Garças, Milton recebeu Menção Honrosa no Concurso Nacional de Desenho Infantil, realizado pelo Banco Português do Brasil, no qual seu pai lhe inscreve.

“Sempre adorei desenhar, e isso me levou a cursar Arquitetura e, paralelamente, artes plásticas, em Goiânia, época da abertura democrática e da Lei da Anistia, com a volta ao Brasil dos grandes adversários da ditadura militar. Ali iniciei uma obra de cartunista e ilustrador, em alguns jornais e agências de publicidade. Caricaturei muitas personalidades políticas goianas e nacionais, durante esse período”, recorda.

Em 1985, tendo retornado para Barra do Garças, Milton iniciou sua minha vida profissional como arquiteto, artista plástico e ilustrador, colaborando  em vários jornais e revistas locais e do interior de Mato Grosso. “Produzi, de lá para cá,  pintura de telas, esculturas, desenhos de retratos e caricaturas, cartuns, ilustrei alguns livros de autores locais. Também escrevi e ilustrei contos, alguns publicados, de minha autoria”, descreve.

Ele também colaborou com diversos jornais e revistas locais e do interior de Mato Grosso. Inclusive, até no exterior.

Todavia, o artista considera que seus melhores trabalhos são os ainda inéditos, a maioria ainda em esboços guardados na gaveta de seu ateliê, na área central da cidade, pertinho das margens do grande rio Araguaia. Essa obras ele começou a publicar aos pouquinhos, nas suas  redes sociais. Quem quiser conferir pode ir ao seu Instagram: @miltonmenddes.

O projeto

O projeto Academia Digital objetiva revitalizar as atividades e acervo da Academia de Letras, Cultura e Artes do Centro-Oeste. Selecionado pelo Edital MT Criativo da Lei Aldir Blanc em Mato Grosso, o projeto tem oficinas digitais de artes plásticas, escultura, percussão, bordado manual, cultura indígena, artesanato e macramè, literatura e teatro, cartoon e caricatura, produção cultural, vídeo, política cultural e elaboração de projetos, e organização cultural no terceiro setor.

A Academia

A Academia de Letras, Cultura e Artes do Centro-Oeste foi fundada em 15 de setembro de 1987, em Barra do Garças. Ela é fruto da união de artistas, intelectuais e incentivadores da arte e da cultura que vislumbraram na instituição a oportunidade para proteger, estimular e difundir o patrimônio cultural de Barra do Garças e de toda a região do Vale do Araguaia, inclusive a parte goiana.

Pessoas com relevantes serviços prestados na área, luminares como Valdon Varjão, Melchíades Mota, Florisvaldo Flores Lopes, Zélia dos Santos Diniz, e muitos outros, se dedicaram diuturnamente, de maneira voluntária e espontânea, a instalar e estruturar a nascente instituição que foi muito bem recebida e acolhida pela comunidade e pela classe política.

Ao longo desses mais de 30 anos de instalação e desenvolvimento a Academia se tornou um importante centro cultural, referência na região e construiu uma sede, na região central de Barra do Garças. Atualmente ela é presidida pelo cantor, compositor e escritor Divino Arbués.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *