Trio Mandili: graciosidade, delicadeza e talento vindos da terra de Stálin

Por João Negrão

Se Josef Stálin, o polêmico líder da União Soviética, vivesse nos dias de hoje teria ficado surpreso e encantado com dois fenômenos contemporâneos. Um mundial – a Internet e suas extensões, as redes sociais; o outro – “explodindo” por meio delas em seu país natal, a Geórgia – o Trio Mandili.

São três moças lindas, graciosas, delicadas e extremamente talentosas. Os nomes delas: Tatuli Mgeladze, Mariam Kurasbediani e Tako Tsiklauri. Com um instrumento tradicional georgiano, o panduri, e suas vozes encantadoras elas percorrem o local onde vivem entoando canções folclóricas e revelando o ambiente e o cotidiano de seu povo.

É interessante notar que, aparentemente, o que elas fazem requer pouquíssima produção, a não ser um celular na mão e uma ideia e músicas na cabeça. Além das belas canções, elas vão descortinando de forma espontânea e delicada seus percursos, agregando pessoas, animais, plantas e outros elementos que encontram pelo caminho.

Queria falar mais do Trio Mandili e da elegância de suas meninas. Confesso que ainda as estou conhecendo e quero ler e assistir muito mais sobre elas e a Geórgia, o país delas e do conterrâneo Stálin.

Deixo no entanto aqui alguns vídeos para vocês e links de suas redes sociais para quem quiser conhecer sobre um dos fenômenos e agradáveis surpresas que as redes sociais nos trazem.

Confira:

3 Replies to “Trio Mandili: graciosidade, delicadeza e talento vindos da terra de Stálin”

  1. Conheci o trio Mandili na pandemia e concordo totalmente. São moças muito talentosas que me fez passar horas ouvindo canções leves em um ambiente que parece me conduzir há um século onde o mundo parecia mais leve e com muito mais verde. Aliás muitas de suas canções exaltam o criador.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *