A importância do ato do dia 29 contra Bolsonaro, o vendedor de cloroquina: Bate-papo com Hélio Doyle

A convocação dos governadores pela CPI do Genocídio não é uma medida adequada, analisa Hélio Doyle neste Bate-papo. O renomado jornalista, escritor e consultor em comunicação considera que se o objetivo é investigar os chefes do Executivo estadual envolvidos em irregularidades relacionadas à pandemia, isto já vem sendo feito pela Polícia Federal.

Hélio também aborda os avanços da CPI em relação à propagação e utilização criminosas da cloroquina, que teve em Jair Bolsonaro um de seus maiores garotos-propaganda. “Tem dois interesse aí: o politico e o econômico. Tudo leva a crer que Bolsonaro está levando vantagens”, suspeita ele.

As manifestações do próximo sábado (29) contra Bolsonaro programadas para todo o país são importantes, conforme pontua Hélio Doyle. Mas não necessariamente precisa haver uma disputa numérica com os bolsonaristas, acrescenta ele. O advogado e professor Álisson Lopes também comenta o tema e alerta para a necessidade rigorosa das medidas de proteção e para os cuidados com os possíveis provocadores.

No quadro “Baú do Hélio”, o jornalista, repórter da revista Veja à época, recorda o “Pacote de Abril”, medidas baixadas pelo general-ditador Ernesto Geisel em 1977, que praticamente cria uma nova Constituição, impondo, sobretudo, medidas para que evite, na eleição de 1978, o fiasco dos militares no pleito legislativo anterior, o de 1974.

Confira:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *