Música e drama dos moradores de Araras em pauta no Goiás Encanto & Prosa

O talento e a versatilidade da cantora goiana Leandra Bueno e o drama vivido pelos portadores de Xeroderma Pigmentoso (XP) que moram no povoado de Araras, em Faina, no interior de Goiás. Estes dois temas serão abordados pelo programa Goiás Encanto & Prosa, que acontece nesta terça-feira, 28 de setembro, a partir das 19h30. O programa foi idealizado com a proposta de mostrar aos internautas a música, a arte e a literatura produzidas em Goiás, além de questões instigantes que afetam a população do Estado. Ele é virtual, transmitido por meio do Facebook.

Jornalista Valbene Bezerra

O Goiás Encanto & Prosa é apresentado pelos jornalistas João Negrão e Maria José Silva. A entrevista com a cantora goiana terá a participação especial da jornalista Valbene Bezerra, membro do Conselho Municipal de Cultura de Goiânia.

Leandra Bueno tem uma longa carreira musical, desenvolvida em Goiás e no Piauí.  Ela iniciou a carreira em 1973, no Festival da Primavera, em Itaberaí. Dois anos depois, venceu o Festival Gremi, em Inhumas. A partir de então, foi vocalista em várias bandas de baile goianas. Em 1997, já em Teresina (PI), formou seu próprio grupo de MPB,  Leandra e Coisa Nossa, que cantava e encantava o público em bares, restaurantes e casas noturnas da cidade.

Leandra Bueno é respeitada por seu nível técnico e versatilidade. Ela interpreta, com desenvoltura e maestria, estilos variados com incursões na MPB, rock e sucessos internacionais. No início de 2001, gravou seu CD ao vivo intitulado Reluz.  Em 2002, retornou a Goiânia, onde continua a desenvolver seu trabalho em parceria com o marido, Edvaldo Piauí. O casal faz voz e violão em bares e pubs da capital goiana, onde apresenta canções da Bossa Nova, músicas pop e samba.

Araras

Gleice Machado, presidente da Associação Nacional dos Portadores de XP

Embora tenha uma população de apenas cerca de 1 mil pessoas, o povoado de Araras, no município de Faina, é conhecido internacionalmente por sediar a maior comunidade portadora de Xeroderma Pigmentoso do mundo. A doença, extremamente rara e grave, é resultante de uma mutação genética que causa hipersensibilidade ao sol e deixa os pacientes até mil vezes suscetíveis ao câncer de pele do que as demais pessoas. Ela é hereditária, transmitida de pai para filho. Os portadores de XP começam a apresentar lesões durante a infância, na forma de sardas e manchas em regiões da pele expostas ao sol, além de um alto desconforto nos olhos provocado pela luz solar.

Médica Mirian Castilho

Esse tema será debatido no Goiás Encanto & Prosa pela presidente da Associação  Nacional dos Portadores de Xeroderma Pigmentoso, Gleice Machado, e pela médica dermatologista Mirian Castilho, professora da Faculdade de Medicina da Pontifícia Universidade Católica de Goiás. Moradora de Araras, Gleice Machado envolveu-se de corpo e alma na luta em defesa dos portadores de XP após constatar que o filho tinha a doença. Como presidente da entidade, ela tem buscado melhoria e celeridade para a assistência médica e social dos moradores de Araras e de outros municípios do País.

Além de ter um vasto conhecimento técnico sobre XP, a médica dermatologista Mirian Castilho tem um envolvimento humano com a comunidade de Araras. Nas sextas-feiras, ela viaja de Goiânia a Faina com o propósito de repassar informações e prestar o atendimento médico aos portadores de XP que enfrentam uma série de limitações relacionadas à enfermidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *